Bem-vindo ao blogue do Centro de Língua Portuguesa do Camões, IP na Universidade da Extremadura /Cáceres

Bienvenido al blog del Centro de Lengua Portuguesa del Camões, IP en la Universidad de Extremadura /Cáceres




20/09/17

II Jornadas de Atualização Docente em Badajoz



A Coordenação de Ensino de Português no Estrangeiro em Espanha, o Centro de Professores e Recursos de Badajoz e o CLP/C Cáceres organizam a segunda edição das Jornadas de Atualização Docente em Badajoz, que se destinam aos professores de português como língua estrangeira, quer espanhóis quer portugueses.

Este ano, as Jornadas terão lugar nos próximos dias 6 e 7 de outubro e têm como título "A Linguagem Audiovisual como recurso didático em PLE."
As inscrições devem ser formalizadas exclusivamente através de
https://inscripciones.educarex.es/index.php?id=61990


PROGRAMA



Dia 6 de outubro, sexta-feira

17h00 
Rececão

17h15 
Inauguração

17h30 - 20h 
Repensar a Educação com o Cinema... em formatos multimodais.”
António Moreira (Departamento de Educação e Ensino a Distância, Universidade Aberta)

 
Dia 7 de outubro, sábado

10h - 11h15  
 “A utilização da língua (materna e/ou estrangeira) na construção de histórias para cinema de animação, no contexto educativo.”
Paulo Oliveira Fernandes (CINANIMA - Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho)

11h15 - 11h45  
Propostas pedagógicas LIDEL

11h45 - 12h15 
Pequeno-almoço

12h15 - 13h30 
"O cinema documental português do novo milénio como instrumento para o ensino da Língua."
João Ribeirete (Centro Estudos Comparatistas, FLUL)

13h30 - 14h00 
Propostas pedagógicas Porto Editora

ALMOÇO

16h00 - 18h00 
 “Ouvir para escrever, ler para ouvir: práticas com a legendagem online ativa em PLE.”
Ana Belén (FYL, UEX) /Iolanda Ogando (FYL, UEX)
 
 


18/09/17

XIX Ciclo de Música Contemporânea


Estão de regresso as noites de música contemporânea no Museu Vostell de Malpartida de Cáceres.

Entre outros artistas, no dia 23 de setembro, sábado, o Ciclo de música recebe o português Carlos Bechegas.

 Carlos Bechegas nasceu em Lisboa em 1957. Estudou Artes Visuais e Artes Gráficas na Escola de Artes Decorativas António Arroio e licenciou-se em Ensino de Educação Visual e Tecnológica pela Escola Superior de Educação de Lisboa. Em 1974 ingressa na Juventude Musical Portuguesa e, posteriormente, termina o Curso de Flauta e Composição na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa. A partir de 1977 inicia a sua actividade pública, como flautista e saxofonista, participando em vários projectos em diversas linguagens do Jazz (Jazz-Rock, Swing, Jazz Bebop e Jazz Contemporâneo), com os grupos “Essência”, “Orquestra Girassol”, “Contrabanda”, “Projecto Rock” e com o seu próprio Quarteto de Jazz. Entre 1983 e 1987, forma um trio de Chorinhos com o guitarrista Rui Luís Pereira (Dudas). Participou também no trio de música improvisada electroacústica “Plexus”, de Carlos Zíngaro e no “Quinteto Kaf”, de António Ferro, com o qual grava um disco.  A partir de 1988 cria o Movement Sounds, a partir do qual inicia um projecto a solo que inclui obras para flauta e electrónica em tempo real. Compôs diversas obras para teatro, televisão e participa regularmente em concertos e festivais, onde actuou com figuras de relevo da música improvisada, nomeadamente com Peter Kowald, Phil Minton e Han Bennink, Derek Bailey, Fred V. Hove e Gunter “Baby” Sommer, Joëlle Léandre, William Parker e Alexander Von Schlippenbach. Edita o seu primeiro CD, Movement Sounds, pela editora Leo Records, seguindo-se Flute Landscapes, Opens Secrets e Right Off. Em 2004, lança a sua editora de autor – Forward.rec, dedicada à produção dos seus trabalhos originais, tendo já editado quatro CD’s: Open Frontiers, Open Speech, Open Density e Open View. Apresenta ainda regularmente exposições de fotografia e continua a leccionar a disciplina de Educação Visual e Tecnológica. 

fonte: www.mic.pt

13/09/17

Exames CAPLE - novembro 2017



 


O Centro de Língua Portuguesa do Camões,IP, em Cáceres, que é o Local para Aplicação e Promoção dos Exames (LAPE 1035) em Cáceres, informa que as inscrições para a realização, em Cáceres, dos exames de avaliação de Português Língua Estrangeira na época de novembro de 2017 estão abertas até dia 06 de novembro e são limitadas.

As inscrições são realizadas exclusivamente on-line através da plataforma do CAPLE disponível em http://caple.letras.ulisboa.pt/inscricao.

Receberá, posteriormente, uma mensagem eletrónica com os procedimentos para realizar o pagamento.

Atenção: O pagamento é feito unicamente através de transferência bancária para a conta indicada na mensagem eletrónica.  

A inscrição só será validada depois de ter sido realizado o pagamento e rececionado o respetivo comprovativo original pelo Centro de Língua Portuguesa/Camões IP em Cáceres.

Para obter mais informações sobre cada exame pode consultar a página do CAPLE (Centro de Avaliação de Português Língua Estrangeira): http://caple.letras.ulisboa.pt/ 

As datas para a época de novembro são:

CIPLE (A2): 28/11/2017

DEPLE (B1): 29/11/2017

DIPLE (B2): 29/11/2017

DAPLE (C1): 28/11/2017

DUPLE (C2): 27/11/2017


Fonética e Pronúncia do Português: do Fonema ao Texto








 

Os interessados deverão contactar a direção do curso através de mjesusfg@unex.es.

31/07/17


A Arte Xávega



 
A Arte Xávega é um tipo de pesca que se encontra em vias de extinção.

Atualmente na costa portuguesa são muito poucas as pessoas que se dedicam a esta faina, mas, na Praia da Vagueira, Vagos, ainda se pratica.
A arte xávega é um tipo de pesca de arrasto só que, com a diferença que o barco sai de terra deixando já uma corda que está sempre ligada a este, dando a volta a mais de 500 metros de distância da costa para deixar a rede que depois é arrastada até à praia por bois e/ou tratores.









video video

03/07/17

X Festival de Flamengo e Fado de Badajoz

 
O 10.º Festival de Flamengo e Fado de Badajoz realiza-se nos próximos dias 6, 7 e 8 de julho na cidade de Badajoz.
Este acontecimento cultural é promovido pela Junta da Extremadura, por meio do Teatro López de Ayala, com o apoio do município de Badajoz. Nos últimos dez anos este evento mostrou o melhor do fado e do flamengo, proporcionando a muitos estremenhos a descoberta do fado e a muitos portugueses o flamengo.
Nesta edição, o Festival de Flamengo e Fado de Badajoz acolhe propostas artísticas diversificadas em que se incluem a Companhia Nacional de Ballet de Espanha (quinta-feira, 6 de julho). No segundo dia, sobe ao palco o espetáculo Mediterráneas (um dueto de vozes com a israelita Noa e a espanhola Pasión Vega), seguido pelo guitarrista português António Chaínho. Dia 8, último dia do festival, uma representação inédita com cantores, bailarinos e músicos do flamengo com o título Familia Porrinha e, para fechar o festival, o fadista Camané, com uma voz única na arte de cantar fado e que oferecerá ao público de Badajoz um reportório especial.




28/06/17

Os Santos Populares - São Pedro






São Pedro é um dos santos mais antigos da religião católica, tendo sido um dos Apóstolos de Jesus Cristo. Contudo, o seu verdadeiro nome era Simão, mas Jesus deu-lhe o nome de Pedro, que vem da palavra pedra, porque seria ele a "pedra sobre a qual se iria construir a igreja cristã".



Pedro era pescador nos mares da Galileia, por onde Jesus andava a pregar, e era irmão de André, outro dos Apóstolos. Curiosamente, conheceram-se através de São João Baptista. Desde que conheceu Jesus Cristo que São Pedro o começou a seguir.
Conta-se que se aborrecia facilmente com as pessoas e que essas discussões o deixavam abatido e triste. Por outro lado, tinha muitas dúvidas, mas era o primeiro a ter todas as iniciativas. Talvez pela sua bondade e boa vontade, Jesus Cristo lhe desse a missão de chefe da Igreja, tendo sido o primeiro Papa! 


Mas como foi que chegou até lá?  Depois de Jesus ter dito que todos os Apóstolos o abandonariam, São Pedro disse que isso não iria suceder. Porém, na noite em que Jesus morre, São Pedro acaba por afirmar três vezes que não conhece Jesus, para não ser preso. O galo terá cantado no momento em que Pedro fez a terceira negação!

 No entanto, um mês depois, com coragem falou para uma multidão inteira sobre "a Boa Nova". E tal foi a força das suas palavras que mais de três mil pessoas se terão convertido à nova fé.
Depois da morte de Jesus, São Pedro andou por quase todo o mundo conhecido até à época a falar às pessoas da nova religião.Conta-se que nas suas viagens curou muitas pessoas e fez milagres que deixavam as pessoas de boca aberta. 

Assim foi durante muitos anos e a igreja que Jesus lhe tinha deixado nas mãos foi crescendo a olhos vistos! Infelizmente, havia ainda muitas pessoas que não o aceitavam e por isso teve que fugir de todas as perseguições que existiam contra os cristãos. Pedro acabou por ser morto por ordem do Imperador Nero, o mesmo Imperador que cantava para um público muito aborrecido de o ouvir, em vez de mandar apagar os incêndios que lavravam em Roma! Nero mandou crucificar São Pedro, mas este quis a sua cruz de cabeça para baixo, porque achava que não era digno de morrer como Jesus!
Na época, Pedro tinha já uma idade bastante avançada o que seria difícil de alcançar nessa época. Em 1968, fizeram-se algumas escavações por baixo da basílica de São Pedro, no Vaticano, em Roma (Itália) e descobriram-se alguns ossos que foram aceites como sendo os de São Pedro, uma vez que se sabe que ele morreu naquela zona. 




Festividades
A noite de 29 de junho não é tão empolgante quanto a animação verificada nas festas dos outro santos populares, mas em homenagem ao santo, acendem-se fogueiras, erguem-se mastros com sua bandeira e queimam-se fogos. Também se fazem procissões terrestres, organizadas pelos pecadores, sendo S. Pedro o seu padroeiro.




fonte: https://pt.slideshare.net/CristinaAlves9/os-santos-populares

26/06/17

Os Santos Populares - São João




São João

Apesar de Santo António ser o mais conhecido, São João é o que detém a maior festa. A animação dura dia e noite e todos estão prontos para a "farra". Contudo, convém referir que se comemora São João do Porto, padroeiro desta cidade, e não São João Baptista como muitas pessoas acreditam.

No Século IX, existia no Norte do país um eremita (pessoa que vive sozinha, longe de todos) chamado João. Enquanto foi vivo deu muitos conselhos às pessoas que lhe iam pedir ajuda. Quando morreu, descobriu-se que muita gente ia ao sítio onde estava enterrado para chamar pelos seus poderes de santo.

No Século XII, uma rainha portuguesa trouxe a cabeça de S. João para o Porto para ser venerada pelas pessoas, sendo que se acredita ser a cabeça que está na capela da Santa Cabeça, da Igreja de Nossa Senhora da Consolação. Sendo que São João do Porto nunca foi aceite oficialmente, começou-se a festejar o São João do Porto no dia 24 de Junho, a mesma data de São João Baptista! Por coincidência, ambos os santos eram eremitas e "perderam a cabeça"!

São João era primo de Jesus e ganhou o nome de "baptista" exactamente porque batizava as pessoas no rio Jordão, derramando-lhes água sobre as cabeças.

São João Baptista também vivia isolado de tudo e todos, como um eremita e refugiava-se no deserto, alimentando-se de mel e gafanhotos. Sem ser dono de nada, vestia apenas uma pele de carneiro.

Grande crítico da política romana era adorado pelo povo e odiado pelo Rei Herodes, que o mandou aprisionar e decapitar, aproveitando um capricho da sua filha, Salomé, que o amava (mas como João Baptista a rejeitou... O rei ficou com um opositor a menos).

O dia 24 de Junho, data do seu nascimento, foi consagrado a São João.

Na noite de São João, a cidade do Porto muda completamente! Nas ruas os foliões passeiam o alho porro (ou, hoje, os martelos de plástico), compram manjerico e comem sardinha assada.

Tudo começa na Ribeira, mas depois do Fogo de Artifício, todos os anos à meia-noite em ponto, a festa espalha-se pelos quatro cantos da cidade e só termina ao nascer do sol.

Para espantar o cansaço vai-se parando nos bailaricos de bairro e salta- se a fogueira! Manda a tradição que a festa culmine com um banho de mar na Foz! Também aqui a festa de São João se mistura com as festas do início do verão, daí as fogueiras e todas as "loucuras" da noite deste santo popular.

Popularmente, acredita-se que a noite de São João é considerada muito boa para adivinhar o futuro. 
Desde casamentos ao ano agrícola e ao clima, tudo se pode saber nesta altura!

Por exemplo:
- Em Beja põem-se, numa tábua, 12 montinhos de sal, aos quais se dão os nomes dos meses. Passam depois a tábua pelo fumo de uma fogueira e deixam-na ficar toda a noite ao relento da manhã. Antes de o sol nascer, correm à tábua para examinarem qual dos montinhos de sal está mais húmido, e é então que sabem quais os meses em que choverá mais, segundo os nomes que lhes deram e a humidade de cada um.

- Em Trás-os-Montes, acreditava-se que o costume de as raparigas cortarem as pontas do cabelo e, antes do nascer do Sol, as colocarem sobre uma silva mansa fazia com que as pontas não voltassem a espigar.

- Em Lisboa diz-se que se na noite de São João a rapariga põe a mesa com dois pratos, talheres e comida e à meia-noite começa a comer, no lugar vazio surge-lhe a figura do futuro noivo.

- No Algarve, segundo a tradição local, enquanto as raparigas dançavam em redor de um mastro enfeitado com madressilva e flores de São João, os rapazes saltavam a fogueira, o que os tornava homens adultos e protegia as crianças das doenças.

As mães passavam por cima das chamas (sem queimar, claro) as crianças doentes ou fracas, e para todos era bom dizer quando saltavam a fogueira: "Fogo no sargaço, saúde no meu braço. Fogo no rosmaninho, saúde no meu peitinho."

Desde a Idade Média que a noite de São João é considerada mágica, acreditando-se que as "mouras encantadas" deixavam a forma de cobras, com que viviam todo o ano, e vêm à tona da água com figura humana.

 Na madrugada de São João vão as mouras estender os seus tesouros à orvalha do campo. Esses tesouros ficam aí encantados sob a forma de figos. Se alguém passa, os apanha e não os come, transformam-se em verdadeiros tesouros. Se, porém, a pessoa que os apanha os come, reduzem-se logo a carvão.

fonte: https://pt.slideshare.net/CristinaAlves9/os-santos-populares

19/06/17

"Memoria y Anatomía del Territorio" - Museo Vostell Malpartida


Dia 21 de junho é inaugurada a exposição temporária “Memoria y Anatomía del Territorio”. O vínculo com a vanguarda artística portuguesa dos ano 70 é explorado nesta exposição, revisitando eventos produzidos a partir de 1978 dos artistas João Vieira, Irene Buarque, São Pestana e Alberto Carneiro.
A exposição pode ser visitada até outubro.
 


14/06/17

Encontro literário Palavra Ibérica


 

É com muito gosto que partilhamos convosco o cartaz e o programa do encontro literário Palavra Ibérica deste ano, que será já nos próximos dias 23 e 24 de junho, Centro Cultural Antonio Aleixo,  sala CA2, em Vila Real de Santo António.

Serão dois días com a presença de vários escritores do Algarve e da Andaluzia, apresentações dos seus livros, recitais, micro-concertos e performances diversas.